Fotógrafos Autores

Somos Aline e Richard Souza,  um casal apaixonado por fotografia.

 

Aline ainda adolescente já trabalhava com fotografia e filmagem, tendo aberto sua empresa nesta área pouco após atingir a maioridade. Filmou muitos eventos com filmadoras VHS e editou muitos vídeos, com programas consagrados no mercado. Seu primeiro contato com fotografia profissional foi com uma DSLR da Canon, que utilizava em modo automático no seu início.

 

Cresceu, aprendeu, amou, casou, mudou-se de cidade e redescobriu a fotografia, com outros olhos.

 

Hoje diz sempre "Eu sou Nikon" e fotografa exclusivamente com esta marca, que convenceu Richard a tambem adotar, tornando o casal "Nikon" (nada contra as demais marcas).

 

Richard desde criança fotografou e filmou, amadoramente, tudo. Aos 14 anos, além de filmar todas as festas da família, fazia filmes caseiros, com roteiro e produção simples, usando sua primeira filmadora VHS-C da Panasonic (o modelo não é lembrado). Editava seus vídeos com 2 videos cassetes e um computador MSX de 8bits, com apenas 16 cores e muitas outras limitações que não podem ser imaginadas pela geração atual, que nasceu já com Windows... E nestas condições, ainda adolescente, teve seu primeiro "trabalho" na área, filmando, editando e comercializando fitas (fitas VHS eram onde os filmes eram gravados) do evento. Gostou da experiência, mas naquela época "informatizar" empresas era uma atividade mais rentável, fácil e rápida, então não "seguiu carreira".

 

Com o passar do tempo e o surgimento das "revelações em 1 hora", o hobby de filmar foi sendo substituído por fotografar. Então passou a fotografar tudo: por do Sol (nascer do Sol era cedo demais), paisagens, pessoas, etc. Tinha sempre rolos de filme (fotografava-se com filmes que vinham em rolos) a revelar.

Conheceu a Polaroid e, claro, também teve uma (ainda tem). Foto instantânea, que não precisava levar para revelar e podia ver na hora era bom demais, mas o filme era caro e tinha apenas 10 poses, sem contar que o formato quadrado (que usuários do Instagram hoje podem pensar ser novidade do aplicativo) não agradava e a imagem não era das melhores. Polaroid seguiu sendo usada em paralelo com câmeras compactas convencionais e o processo rotineiro de fotografar, revelar e, quando a tecnologia já estava disponível, scannear as fotos para ter no computador (que antes de existir internet comercial no Brasil tinha uso um pouco limitado) e usar para imprimir, incluir em documentos ou apenas visualizar na tela.

 

Então surgiu a câmera digital!!! O preço não era convidativo, mas a idéia de ver o resultado na hora (como a Polaroid), poder fazer dezenas de fotos (como as compactas de filme de 35mm) sem precisar revelar e poder passar para o computador sem precisar scannear era tentação demais.

 

Assim que pode comprou sua primeira câmera digital. A marca não era das melhores, a memória não era muito grande, a tampa das baterias (4 pilhas AA) quebrou na primeira semana (não aguentava o peso das pilhas) e a resolução máxima era de 640X480 (só isso mesmo, mas numa época que isso era a resolução da maioria das telas de computador), mas era digital! Foi comprada e usada no mesmo dia, fotografando um vôo no helicoptero usado pela polícia e bombeiros do RJ. Inesquecível.

 

Seguiu fotografando, passando por diversas compactas digitais.

 

Então o tempo passou e Richard conheceu Aline (em uma história muito interessante e diferente, mas que não cabe nesse espaço), apaixonaram-se, casaram-se.

 

O casal seguiu para a Lua de Mel, claro, e lá filmaram e fotografaram (claro), resultando no primeiro DVD e Álbum Fotolivro  que fizeram em conjunto.

 

Identificando o interesse em comum, estudaram fotografia, aprenderam (e ainda aprendem), equiparam-se e passaram a fotografar com técnica  e identidade própria.

 

Em pouco tempo os detalhes das viagens e passeios, as diversas características dos hoteis e os diferentes pratos dos restaurantes visitados resultaram em um grande banco de imagens.

 

Assim surgiu a ideia de formatar melhor esse conteúdo, criando um site a partir desse material, para compartilhar as experiências, além das imagens.

 

No site Fotografei.com.br estarão compartilhando algunas de suas fotos e experiências. Com uma proposta muito simples: compartilhar as experiências boas e ruins, do ponto de vista de cada um (afinal nem sempre o casal gosta das mesmas coisas) através de fotos e comentários.

 

É importante destacar que este site não vende opiniões. Elogios somente quando merecidos, assim como as criticas.